Textos, texturas e intertextos: apontamentos sobre aprendizado e competência na comunicação digital

AutoresFátima Regis

Resumo:

O objetivo do artigo é discutir o processo de aprendizado na comunicação digital. As mídias e redes digitais fazem emergir práticas de comunicação que facilitam a apropriação, criação e compartilhamento de textos híbridos (oral, visual, tátil). Essas práticas digitais exploram as sensorialidades do corpo e operam em situações concretas, mobilizando saberes, habilidades e atitudes que a sociologia do aprendizado denomina de construção de competências (PERRENOUD, 1999). Por apoiar-se em situações concretas, estimular corpo e engajamento, o aprendizado por competências se diferencia do aprendizado formal, frequentemente abstrato e descontextualizado, o que pode explicar o interesse dos educadores na comunicação digital. Conclui-se que o aprendizado digital opera como rede sociotécnica. Assim, retoma-se a etimologia de texto e revela-se que a cultura escrita o despiu de qualidades fundamentais: texto inclui textura (relevo, sensorium) e trama (rede, intertexto) (MCKENZIE, 2004).

Palavras-chave: textos; competências cognitivas; comunicação digital.

 

Visualisar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *