Interfaces rebeldes

Interfaces rebeldes:o jogador em meio à instabilidade dos videogames de sobrevivência

Autores: Ivan Mussa

Resumo:

Videogames não funcionam sem um jogador que ligue o aparelho, aperte botões, assimile as regras e execute estratégias. O que acontece, porém, quando a organização do mundo ativado pelo jogador não prioriza – ou até ignora – a sua presença? Este artigo confronta esse problema em três etapas, motivado pela emergência dos jogos de sobrevivência (survival games), fortemente
influenciada pelo sucesso de Minecraft. A primeira parte trata da divergência em relação ao jogador por parte das forças que compõem o jogo em Factorio. A segunda aborda o problema do enfrentamento entre jogador e sistema, baseando-se em Minecraft. Em seguida, será apresentada a mudança qualitativa da experiência de jogo diante de tal instabilidade em Subnautica.

Palavras-chave: ambientes digitais; videogame; game studies; Meio de divulgação: Digital

Visualizar