De olho nos vizinhos: conheça algumas iniciativas educacionais inovadoras desenvolvidas na América Latina

Os integrantes do LMD/Cibercog têm desenvolvido pesquisas e estudos que exploram experiências educativas inovadoras, que rompem com modelos tradicionais e também utilizam o potencial de tecnologias e de produtos de entretenimento, como videogames, aplicativos, jogos de tabuleiros, filmes, séries, entre outros. De olho em iniciativas que já estão em desenvolvimento, observa-se algumas que estão sendo fomentadas em países da América Latina, inclusive no Brasil!

Em 2014, a Agência de notícias espanhola Europa Press destacou alguns desses projetos e decidimos ver como alguns deles estão após quase três anos. Como ressaltado na matéria da editoria Notimérica, todos eles receberam financiamento do Banco Interamericano de Desarrollo (BID) e foram escolhidas pela solidez e potencial.

Confira!

  1. Canal no YouTube Julioprofe  – Colômbia

Julio Alberto Ríos Gallego é um engenheiro civil colombiano que, em 2009, resolveu criar um canal no Youtube com aulas de matemática e física para auxiliar estudantes, professores e pais. Segundo a Euro Press, em 2013, o canal registrou mais visitas que o canal do Instituto de Tecnología de Massachusetts (MIT). Atualmente, ele possui mais de 1,6 milhões de inscritos. As aulas estão divididas entre os eixos temáticos de aritmética, álgebra, geometria, trigonometria, geometria analítica, cálculo de uma variável, física e matemática Superior.

  1. Puentes Educativas – Chile

O Puentes Educativas é um projeto de formação de professores que desenvolve atividades para auxiliar no processo educativo de crianças em escolas públicas de áreas rurais do Chile, utilizando tecnologias móveis de comunicação e Internet. A iniciativa começou nas Filipinas, em 2002, e é resultado de um projeto das empresas Nokia e Pearson, unindo a expertise em mobile e em educação de cada uma delas. Em sua página oficial, o Puentes Educativas destaca que busca fortalecer práticas pedagógicas por meio de capacitação de docentes, acompanhamento pedagógico, recursos inovadores educativos, recursos tecnológicos e trabalho desenvolvido em rede. As disciplinas contempladas são matemática, ciências naturais, inglês, história, geografia, ciências sociais e artes visuais.

  1. Transformemos – Colômbia

O Transformemos é uma iniciativa da fundação Desarrollo Social Transformemos que busca incorporar jovens e adultos, de 15 a 60 anos, que não tiveram acesso ou abandonaram o ensino formal de educação. O projeto utiliza dois softwares em seu processo pedagógico, um de estrutura interativa, com mais de 2 mil aulas, e outro multilingue, desenvolvido para tablets. A tecnologia permitiu que mais de 3 mil indígenas, que vivem em regiões rurais, tivessem acesso ao conteúdo. Como descrito em sua página oficial, o projeto atende, em sua grande maioria, estudantes em situações de vulnerabilidade social, buscando reduzir a disparidade educacional entre as áreas urbanas e rurais do país.

Criado em 2006, mais de 320 mil pessoas retomaram os estudos por meio do projeto. De acordo com a Euro Press, Cartagena, um dos endereços do projeto, reduziu a menos de 1% o índice de analfabetismo, em três anos, sendo a primeira cidade colombiana a atingir esse índice, segundo dados da UNESCO.

  1. Clic Educa – Chile

Clic Educa é uma empresa especialista em soluções tecnológicas educativas, com sede no Chile. Criada em 2008, a iniciativa conta com uma equipe multidisciplinar proveniente da engenharia, pedagogia, informática, design e comunicação, responsável por desenvolver  softwares e outros produtos tecnológicos para apoio de aprendizado do ensino básico. Em sua página oficial, os clientes têm acesso aos conteúdos multimídias e interativos, além de dar a possibilidade para alunos e professores criarem seus próprios produtos.

  1. Avatar – Peru e Kokori – Chile

Ambos os projetos utilizam videogames educativos em suas plataformas. O Avatar foi desenvolvido na Universidade Católica do Peru, em 2008, por uma equipe interdisciplinar, que investigava o uso de jogos eletrônicos e o mundo virtual na educação. A partir da pesquisa, o grupo decidiu desenvolver seus próprios jogos. Já o Kokori foi criado por biotecnólogos do Centro de Bio-Nanobótica Celular (CBNC). Além de videogames, atualmente a equipe produz séries animadas, comics e softwares para smartphones.

  1. UNO Internacional (UNOi) – Brasil, Colômbia e México

Com o lema “Queremos uma escola para todos”,  a UNO Internacional (UNOi) é o único representante brasileiro nesta lista. E qual é seu diferencial? Fundada em 2012, a empresa cria parcerias com escolas e famílias, buscando trocas de experiências orientadas pelos conceitos de inspiração, inteligência, inovação e interatividade. Além das ferramentas tecnológicas, como as plataformas de conteúdos educacionais, o projeto propõe para seus clientes encontros presenciais para o intercâmbio de ideias e discussões sobre os paradigmas pedagógicos tradicionais.