Precisamos falar sobre RPG

 

Os integrantes do grupo de pesquisa CiberCog têm realizado pesquisas desde 2007 com o propósito de investigar como os produtos de entretenimento podem ajudar a desenvolver habilidades cognitivas. Agora chegou a hora de produzir e criar jogos em parceria com o Laboratório de Mídias Digitais (LMD/Uerj), do qual o CiberCog faz parte desde 2014. E você, quer jogar com a gente?

                 ***

No início da década de 1970 dois jovens estudantes de história, Gary Gygax e Dave Arneson, criaram o primeiro jogo de RPG nos Estados Unidos. A sigla inglesa para Role-Playing Game, que em português significa “jogo de interpretação de papéis”, define um estilo de jogo em que pessoas interpretam seus personagens criando assim um cenário fictício no qual vivem narrativas e histórias que são guiadas por um jogador que será o mestre. O primeiro RPG da história, levou o nome de Dungeons & Dragons (Masmorras & Dragões) e foi inspirado em histórias de cavaleiros medievais.

O jogo logo ficou popular ganhando diversas narrativas mitológicas, místicas, futurísticas e de super-heróis, sempre inspiradas na fórmula do Dungeons & Dragons, porém, alterando cenários e personagens podendo citar como precursores da popularização os jogos Dragon Quest, Final Fantasy e Breath of Fire.

Uma sessão de RPG exige a todo momento que o jogador expresse uma grande carga criativa, exemplo disso é que, para iniciar o jogo, o jogador precisa criar um personagem e definir dados pessoais, raça, classe e alguns atributos padrões para as virtudes dele, como força, destreza e vitalidade.

As aventuras podem ser jogadas de várias formas as mais comuns são as ações faladas, as Live Actions, na qual os jogadores se caracterizam e interpretam seus personagens corporalmente e a aventura-solo na qual os participantes se orientam através de um livro (que é facilmente encontrado na maioria das livrarias). Em geral, cada aventura é criada pelo mestre, que tem como responsabilidade criar a história, época e cenário, julgando as ações dos personagens de acordo com o sistema do jogo. Uma aventura de RPG pode durar dias, meses e, até mesmo, anos.

Nos dias de hoje, os jogos aliaram-se ao conceito dos RPGs antigos aplicando-os na internet, com a possibilidade de trazer milhares de jogadores para uma mesma Aventura Online. A Steam – rede social para compra de jogos e compartilhamento de opiniões sobre eles – tem uma aba inteira somente para RPG online como os games Skyrim e The Witcher. Também podemos encontrar aventuras online pelo sistema operacional Android e iOS.

 

E aí, ficou com vontade de jogar? Chama os seus amigos ou baixa já pro seu celular é divirta-se.

Boa Aventura!

Fontes:

TecMundo 
Super Interessante
Wikipédia

One thought on “Precisamos falar sobre RPG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *