Escolhendo um sistema de regras

Já falamos aqui sobre começar uma aventura de RPG com os amigos, mas se D&D não é bem a sua praia, vamos apresentar alguns sistemas que podem ser mais interessantes. Essa lista não pretende ser extensiva – já que existem inúmeros sistemas do quais escolher –, mas apenas demonstrar que tem opção pra todos os gostos.

 

Pathfinder

Lançado pela Paizo Publishing em 2009, é um cenário de fantasia com um sistema que modifica as regras da terceira edição de D&D, planejado para ser compatível com D&D 3.5.

Storyteller (Mundo das Trevas)/Storytelling (Crônicas das Trevas)

Storyteller é um sistema criado por Mark Rein•Hagen, lançado pela White Wolf, que utiliza o sistema d10 (dados de dez faces). O cenário mais famoso é o Mundo das Trevas, principalmente o jogo Vampiro: A Máscara, criado em 1991, no estilo punk-gótico. O sistema foi descontinuado em 2004.

Contudo, em agosto de 2004, foi lançado o novo Mundo das Trevas (hoje conhecido como Crônicas das Trevas), baseado no sistema Storytelling. O cenário conserva algumas características do primeiro, por exemplo, ambos são baseados no mundo real, com a inclusão das criaturas sobrenaturais e mistérios do cenário, mas a temática muda para mistério/suspense sombrio, com ênfase sobre o desconhecido e o macabro.

Shadowrun

É um jogo de fantasia científica criado em 1989, ambientado em um universo ficcional de um futuro próximo em que a cibernética e criaturas mágicas coexistem. Com temática cyberpunk e sistema de regras baseado em d6 (dados de 6 lados), também inclui elementos de fantasia urbana e criminalidade. No Brasil, o jogo foi editado pelas editoras Ediouro, em 1995, e Devir Livraria, a partir de 1996.

Numenera

É um jogo de fantasia científica criado por Monte Cook. Ambientado num futuro distante onde várias civilizações chegaram ao ápice e decaíram, deixando para trás artefatos tecnológicos esquecidos. O sistema é baseado em d20 (dado de 20 lados), como o D&D, mas inclui mecânica de controle de dificuldade por parte dos jogadores, que podem gastar pontos para deixar uma tarefa mais fácil.

 

Sistemas brasileiros

Divulgação – Fonte: Jambô Editora

Old Dragon (OD) foi desenvolvido por Antonio Sá Neto e Fabiano Neme  e lançado de forma independente em 2010. Hoje, é editado e vendido pela Redbox Editora. Esse sistema utiliza mecânicas baseadas em várias versões anteriores de Dungeons & Dragons e, por isso, se autodefine como retro-golem.

Como ele usa a Open Gaming License e a Creative Commons, outros produtores tem permissão para criar obras derivadas, disponibilizando-as comercialmente ou não.

Tormenta foi criado em 1999 por Marcelo Cassaro, Rogério Saladino e J. M. Trevisan. É um cenário de fantasia medieval, que inclui vários livros básicos e suplementos, compatíveis com diversos sistemas de RPG. Atualmente, o cenário constitui seu próprio sistema de regras, chamado hoje de Tormenta RPG e desde 2005, o cenário é publicado pela Jambô Editora.

Arkanun foi lançado pela Daemon Editora em novembro de 1995 e é um dos primeiros cenários brasileiros de horror. É ambientado na Europa Medieval e envolve conspirações com os templários, inquisição etc., misturando elementos sobrenaturais.

Tagmar foi criado em 1991 com o título de “1º RPG Brasileiro” e foi inicialmente publicado pela Editora GSA. Foram publicados cinco suplementos: O Arado de Ouro, O Livro de Criaturas, A Fronteira, o livro-jogo Estandarte Sangrento e O Império, contudo, a editora fechou em 1997 e o sistema foi descontinuado. Sem uma editora para dar continuidade o Tagmar ficou estagnado.

3D&T é o antigo Defensores de Tóquio, um sistema simples que se baseia em animes, mangás, jogos de luta e séries japonesas de estilo tokusatsu. Foi criado por Marcelo Cassaro. Tormenta é o cenário mais conhecido com as regras 3D&T, com elementos de fantasia medieval.

One thought on “Escolhendo um sistema de regras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *